Abate de milhões de visons provoca crise política na Dinamarca!

visons mortos sao transportados em empilhador por dois trabalhadores para um camiao
20 Novembro 2020 Pets4Company

15 milhões de visons foram abatidos após ter sido identificada uma nova estirpe de coronavírus nestes animais. Ministro da agricultura demitiu-se após reconhecer que não existe base legal para o abate. Oposição exige queda do governo.

O governo dinamarquês, liderado pela primeira ministra Mette Frederiksen, daria ordens no início de novembro para que fossem abatidos todos os visons do país (cerca de 15 a 17 milhões) depois de as autoridades de saúde terem detetado uma nova estirpe de SARS-CoV-2 que já infetara mais de 200 pessoas. O princípio que levaria ao abate dos animais, destinados à indústria de peles, estaria na possibilidade de esta variante poder pôr em causa uma futura vacina ao reduzir a capacidade dos anticorpos.

Foram destacadas forças militares para ajudar naquela que seria uma luta contra a disseminação do novo vírus. Esta ação carecia, no entanto, de base legal sendo apenas permitido o abate dos animais nas áreas afetadas pelos surtos e não em todo o país.

Na passada quarta-feira, o ministro da agricultura Mogens Jansen, acabaria por pedir demissão servindo este evento de mote para que a oposição pedisse também a demissão da primeira ministra.  Mette Frederiksen mantem-se firme e afirma mesmo que a nova estirpe terá sido muito provavelmente eliminada.

A criação de visons para o mercado de peles tem um peso significativo para a economia dinamarquesa.

Os visons tem mostrado alguma suscetibilidade ao novo corona vírus. A Dinamarca não é o primeiro país europeu a ordenar a irradicação de quintas de visons, seguindo os passos de Espanha e dos países Baixos.

Foto por: The NewYork Times