Tudo o que necessita para ter uma Chinchila

chinchila a comer uma goluseima
07 Maio 2020 Pets4Company

O que preciso saber antes de adquirir uma Chinchila como animal de estimação? Habitação, alimentação, cuidados de higiene...descubra tudo aqui!

Antes de considerar adquirir uma chinchila como animal de estimação é importante procurar conhecer um pouco sobre os hábitos de vida e cuidados a ter com estes pequenos, mas muito complexos, roedores.

Habitação:

As gaiolas a considerar para a instalação da chinchila devem ser verticais e incluir, no seu interior, algumas plataformas e esconderijos, visto que a anatomia das chinchilas as torna boas escaladoras e capazes de saltos que podem chegar a um metro de altura. Deve também optar-se pela ausência de grades no fundo da gaiola que possam comprometer a sua segurança.

Alimentação:

No que respeita à alimentação das chinchilas, esta é composta por uma ração apropriada para estes roedores, preferencialmente em pellets uma vez que a sua versão em muesli contém muitos grãos e gorduras prejudiciais para o fígado, levando a problemas de saúde relacionados com o mesmo.

Deve também incluir muito feno que permita, não só a aquisição de uma boa quantidade de fibra, mas também o devido desgaste dos dentes molares que crescem ao longo de toda a sua vida.

Por outro lado, para facilitar o desgaste dos incisivos, pode ser-lhe facultada madeira não tratada e não resinosa sob a forma de brinquedos ou pauzinhos, proporcionando ao mesmo tempo, assim, um bom entretenimento.

Devemos ainda manter sempre também à sua disposição água fresca em bebedouro apropriado com ponta de esfera para evitar que ocorram vazamentos e que a chinchila molhe a sua densa pelagem.

Higiene:

No fundo da gaiola devemos utilizar um absorvente em madeira peletizada, não resinosa, que permite neutralizar os odores, que no caso das chinchilas são quase inexistentes.

Para manter o pêlo e a pele saudáveis, deve ser posto á disposição das chinchilas um recipiente com areia de banho apropriada onde a chinchila faz a sua higiene sozinha.

A sua pelagem é de tal modo densa que impossibilita a entrada de parasitas, não sendo necessária qualquer desparasitação externa. É importante manter o pelo limpo e solto de modo a evitar golpes de calor que chegam a ser fatais uma vez que estas têm dificuldade em baixar a temperatura corporal.

Guloseimas e Brinquedos:

Sendo as chinchilas animais de digestão um pouco sensível, devemos evitar guloseimas cujo teor nutricional contenha demasiadas gorduras ou anti nutrientes. Assim, devemos optar por complementos à base de ervas e flores, apropriados para estes pequenos amigos, algumas frutas não cítricas (tais como maçã e pêra) e bagas de goji. Devemos, porém, evitar: sementes oleaginosas, leguminosas, proteína animal, qualquer caroço ou pevide, nozes, amêndoas e demais frutos secos, uma vez que o seu consumo poderá trazer problemas graves.

Os brinquedos que podemos disponibilizar às chinchilas devem ser de origem fidedigna, feitos de madeiras não tratadas, não resinosas e não conter produtos tóxicos tais como corantes/colorantes. Para além de proporcionarem entretenimento, devem também ter dureza o suficiente para permitir o trato dos dentes mantendo a sua saúde e higiene.

Saúde e bem-estar:

A habitação da chinchila deve estar localizada em ambientes cuja temperatura e humidade não sejam muito elevados. Temperaturas demasiado altas podem provocar choques de calor, na maioria das vezes fatais, uma vez que estes amiguinhos de pelos fartos não conseguem arrefecer com facilidade.

Humidades elevadas podem levar ao aparecimento de fungos, alguns dos quais proliferam nos fenos, podendo ser ingeridos. Pode também levar ao aparecimento de ring-worm, um fungo que prolifera nas células da pele e cujos esporos são altamente contagiosos, propagando-se entre espécies a grande velocidade. Este fungo é identificado pelo surgimento de zonas sem pelo, irritadas e escamadas ao longo do nariz, olhos, boca, orelhas e genitais.

As chinchilas podem também desenvolver problemas dentários como má oclusão dentária ou crescimentos anormais, cujo surgimento se deve a background genético, ou a alimentação indevida. Animais cujos antepassados apresentam de forma sistemática problemas dentários não devem ser integrados em planos de criação uma vez que a probabilidade de passarem estes mesmos problemas para as crias é elevada. Falta ou excesso de cálcio, durante a gestação e crescimento, também podem levar a um mau desenvolvimento de ossos e dentes bem como uma alimentação que não permita o desgaste devido dos incisivos e molares que, nas chinchilas assim como noutros roedores, estão em constante crescimento.

Ao escolher uma chinchila devemos ter em atenção os olhos, que devem estar límpidos e brilhantes, o pêlo que deve estar cuidado e sem falhas, a ausência de abrasões ou feridas na pele que possam indicar a presença de fungos. A sua postura, não deve ser de prostração ou apresentar sinais de desconforto ou dor. Se possível, devemos também questionar sobre a idade da mesma, saúde e mutação dos pais bem como o tipo de alimentação que se encontra a fazer de momento.